terça-feira, 19 de agosto de 2008

Carta de uma tia com saudades

Meu querido sobrinho,

Escrevo-te estas linhas para saberes que estou viva. Escrevo devagar porque sei que não gostas de ler depressa. Se receberes a carta é porque chegou. Se ela não chegar, avisa-me, que é para eu te enviar outra.

O teu tio leu no jornal que a maioria dos acidentes ocorrem a um quilómetro de casa. Por precaução, mudámo-nos para mais longe. Sobre o casaco que querias, o teu tio disse-me que seria muito caro mandar-to pelo correio, por causa dos botões de ferro, que pesam muito. Resolvi arrancar os botões e coloquei-os no bloso. Depois prega-os outra vez.

No outro dia, houve uma explosão na botija de gás aqui na cozinha. O teu tio e eu fomos atirados pelo ar e caímos fora de casa. Que emoção! Foi a primeira vez em muitos anos que saímos juntos!

Na semana passada senti-me mal e o médico veio cá a casa. Enfiou-me um tubo na boca, que não me deixava falar. O teu tio comprou o tubo por uma fortuna, mas não percebi para quê…

A tua sobrinha Maria vai ser mãe. Como ainda não sabemos se é menino ou menina, não sei se vais ser tio ou tia. O teu primo António fechou o carro e deixou as chaves lá dentro. Tivemos de voltar a casa e buscar a chave suplente para o abrir. Por sorte, chegámos antes de começar a chover, porque a capota do carro tinha ficado para baixo.

Se vires a tua tia Clotilde, dá-lhe lembranças minhas. Se não a vires, não lhe digas nada.

Pensei em mandar-te dinheiro, para ajudar nas despesas da casa. Mas infelizmente já tinha fechado a carta.

Da tua tia, que te ama.

3 comentários:

иєєz disse...

Lembro-me disto. Não sei bem de onde. Mas lembro.
Realmente, nós divertimo-nos muito naquelas manhãs na escola, sem nada para fazer, enquanto esperávamos que o refeitório abrisse porque havia sempre alguém esfomeado!
Vou ter saudades desses tempos... Aliás, já tenho!
Mas nós continuamos a ver-nos, não é, miúda? (:
*bjinhO

Lála Strawberry disse...

x)
Gostei da carta :3

Anjo_sem_asas disse...

Adorei x)